segunda-feira, 12 de abril de 2010

Noites Insones


Fecho os olhos e cai morto o mundo inteiro
Em minhas noites insones o silêncio é companheiro
Silêncio profundo e externo, obviamente
Há sempre barulho em minha mente

Questiono nessas horas minha sanidade
Confundo tudo com liberdade
Encontro tanta lucidez em mim
Quanto vejo anjos e querubins

Fecho os olhos e cai morto o mundo inteiro
Esqueço meu nome verdadeiro
Na noite escura e assustadora
Me assusta a minha mente perturbadora

Abriria meus olhos pra ver o mundo renascer
Mas os olhos já estão abertos sem que eu possa ver
O mundo está vivo sem que eu tenha noção
Morta mesmo está minha razão

Inspirado na poesia “Mad Girl's Love Song” de Sylvia Plath

4 comentários:

  1. Claudia! Quanto tempo garota! Sabe que essas noites são as minhas inspirações! Perfeito. Só isso. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olha, nunca me emocionei tanto lendo uma Poesia!
    Muito Boa Claudinha :D

    ResponderExcluir
  3. Passa lá no blog que tem selinhos procê!!! XD
    http://alephia.blogspot.com

    ResponderExcluir

Olá,
Obrigado por ler e comentar!
Beijos!