segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Licença poética para te odiar


Em linhas rimadas quero expressar
Aquilo que meu peito guarda em segredo
Sentimentos horríveis a confessar
Se você soubesse, teria medo.

Eu não te odeio de graça
Odeio o ar que você respira
As ruas por onde passa
No fundo, você me inspira.

Inspira essas linhas absurdas
Cheias de mentiras previsíveis
Inspira minha busca pela cura
Todas as verdades possíveis

Porque não sai do meu pensamento
E vem pra minha realidade?
Pra que sumir tantos momentos
E voltar dizendo sentir saudade?

Jamais disse que te amo
Já não sei se posso amar
Jamais pense que me engano
Tenho licença poética para te odiar

2 comentários:

  1. Uauuu! Com sangue nos olhos!! rsrsrsrs a raiva também inspira.. e muito!! Adorei!

    ResponderExcluir

Olá,
Obrigado por ler e comentar!
Beijos!